Aquela sexta feira
25 de março de 2016
É Páscoa! Celebrai
27 de março de 2016

A rejeição do amor

Ditas estas coisas, angustiou-se Jesus em espírito e afirmou: em verdade, em verdade vos digo que um dentre vós me traíra João 13:21

A malhação do Judas, no sábado de Aleluia, É uma brincadeira através da qual os católicos se vingam de Judas por ter traído Jesus.

Quais teriam sido os motivos que impeliram Judas a trair o Mestre?

A primeira razão pode ter sido a ganância por dinheiro, Judas recebeu trinta moedas de prata dos sacerdotes para trair Jesus. Além disso, João deixa claro que Judas era ladrão (Jo 12:5 e 6). Sendo tesoureiro do grupo, e tendo aos seus cuidados a bolsa, ele tirava dali o que não lhe pertencia. Assim, muito antes de trair Jesus, ele traia seus amigos. Entretanto, seria ingenuidade pensar que Judas traiu Jesus só pelo dinheiro, pois após traição, vendo que Jesus fora condenado, ele devolveu as trinta moedas aos sacerdotes.

Se nos lembrarmos de quanto os judeus odiavam o domínio romano, não precisaremos gastar tempo procurando um segundo motivo. Talvez Judas fosse um desses judeus nacionalistas, que queriam se libertar do jugo romano pela força, e que considerasse Jesus, com Seus poderes miraculosos, como sendo o líder ideal de que precisavam para liderar a grande rebelião. Mas Jesus viera libertar os homens do pecado.

Às vezes, nos perguntamos por que Judas for aceito como discípulo. É que Jesus viu nele certas qualidades que poderiam tê-lo conduzido à grandeza espiritual, convicções fortes, emoções ardentes e disposição para agir. É verdade que as convicções de Judas o levaram à traição, e o seu remorso ao suicídio. Mas o domínio de tais traços levaram outros homens à grandeza.

Jesus sabia que Judas O trairia, mas não o rejeitou. Antes o manteve ao Seu lado procurando contrabalançar a influência negativa exercida pelo diabo na vida desse apóstolo. Assim, Jesus não apenas aceita aqueles que o diabo traz para a igreja a fim de prejudica-la, mas também, faz o que pode para ganhar essas pessoas para Si. É assim que funciona o reino de Deus. E Jesus quase conquistou Judas.

Infelizmente, porém, chegou o momento decisivo e terrível em que Jesus teve de admitir que Seu amor por Judas havia sido rejeitado, ao dizer: “O que pretendes fazer, faze-o depressa” (Jo 13:27). A sorte estava lançada. Não havia mais razão para demora.

A tragédia de Judas é a tragédia de um homem que pensava saber melhor do que Deus. Ele queria mudar Jesus. Mas Jesus não pode ser mudado por nós. Nós é que precisamos ser transformados por Ele.