Faça o teste e reconheça os sinais que levam o coração adoecer
22 de abril de 2020
Regras para manter o casamento
10 de maio de 2020

Ciências Contábeis

Duração

08 a 09 semestres dependendo da instituição, conforme sugestão da unidade para o cumprimento do currículo pleno, sendo o prazo máximo de integralização 12 semestres.

Atuação

O patrimônio e o capital de empresas e entidades públicas são o objeto de estudo do contabilista, uma das denominações dadas àqueles que se formam em ciências contábeis. A tarefa desse profissional vai além de produzir balanços ou registrar créditos e débitos. Ele precisa analisar e compreender os fenômenos que provocaram aqueles resultados econômico-financeiros e, ainda, prever suas conseqüências.

Mercado de trabalho

Espaço assegurado
Poucas profissões possuem um mercado de trabalho tão amplo quanto a de contabilista ou Contador (o nome mais conhecido do profissional de contábeis). Afinal, a legislação brasileira obriga toda empresa, seja qual for seu porte ou ramo de atividade, a ter um Contador nos seus quadros ou a contratar os serviços de um escritório de contabilidade.

Trocando em miúdos, um hospital e uma pequena clínica precisam de médicos e também de um Contador. Uma pequena empreiteira dispensa os médicos, mas não pode funcionar sem o engenheiro e um Contador. Uma distribuidora de bebidas não requer médicos nem engenheiros, mas necessita de vendedores e de um Contador. Isso acontece com todas as empresa brasileiras.

Depois de atingir as áreas de limpeza, transportes e vigilância, em meados dos anos 1980, o fenômeno da terceirização alcançou a contabilidade, multiplicando o número de profissionais que montaram os seus escritórios de assessoria e consultoria contábil.

Na década de 1990, a expansão da terceirização beneficiou os contabilistas, à medida que outras categorias profissionais, como Jornalistas e Arquitetos, foram criando suas próprias pequenas empresas e, obrigatoriamente, tiveram de contratar Contadores.

Para o Contador, o problema não é exatamente conseguir trabalho, mas garantir um rendimento à altura dos quatro anos de curso. É que a profissão de técnico em contabilidade, também regulamentada, habilita seus formados a desempenhar praticamente as mesmas funções. Sem passagem pela universidade e conseqüentemente com pretensões salariais menores, o técnico em contabilidade aceita honorários abaixo dos valores pagos aos Contadores.

Hoje, os principais alvos das entidades que representam os contabilistas (os sindicatos estaduais, os conselhos regionais e o Conselho Federal de Contabilidade) são reverter o achatamento salarial provocado pelo exercício profissional dos técnicos e acompanhar de perto o funcionamento das escolas de contabilidade, que se proliferaram na década de 1970.

Maiores Informações:

http://www.sr1.ufrj.br/CatGrad2002.pdf
http://www2.uerj.br/~dep/
http://www.convest.unicamp.br/cursos/ciencias_econo.html

Imagem de Steve Buissinne por Pixabay